Contaminação cruzada: cuidados nas suas operações

Contaminação cruzada: cuidados nas suas operações

Com a chegada do COVID-19 as empresas estão adaptando seus processos para proteger sua equipe e evitar a contaminação no ambiente de trabalho.

E uma das preocupações é com a chamada “CONTAMINAÇÃO CRUZADA”. Segundo a ANVISA, contaminação cruzada é quando acontece a transferência de agentes contaminantes de um local ou superfície para outro.

Por exemplo: imagine que um operador que tenha o COVID-19 sem apresentar os sintomas (o que acontece na maioria dos casos) utilize uma empilhadeira. Se a empresa opera com três turnos, há a possibilidade de pelo menos mais dois funcionários serem contaminados (contaminação cruzada) sem terem necessariamente tido o contato direto com o operador infectado.

O mesmo vale para ferramentas, no caso dos técnicos, além de itens de escritório, como telefones, etc.

Ou seja, é preciso que você repense e adapte ou crie novos procedimentos para suas equipes levando em conta essa nova situação.

PROCEDIMENTO DE HIGIENIZAÇÃO

Preparamos algumas dicas para orientar você a criar procedimentos de trabalhos relativos à prevenção do COVID-19.

  1. O primeiro passo é repensar seus locais e processos e criar (ou adaptar) os procedimentos-padrão que incluam os cuidados com a higienização de equipamentos e demais superfícies
  2. Inclua aqueles itens que geralmente são esquecidos nos procedimentos de limpeza, como ferramentas, cabine das empilhadeiras, maçanetas de portas, interior dos carros (maçaneta, direção e câmbio principalmente) e corrimão de escadas.
  3. Estabeleça o produto que será utilizado, como será utilizado e qual a periodicidade. Lembre-se de que álcool gel não é uma solução universal, e em superfícies como eletrônicos não são indicados. O ideal é você consultar a empresa que presta serviços pra sua empresa na área de saúde do trabalho. Caso não tenha, consulte os órgãos oficiais do governo, como a ANVISA.
  4. Crie tabelas (manuais) de higienização e coloque-as em pontos visíveis
  5. Ofereça treinamento às equipes sobre esses novos processos – e um treinamento diferenciado às equipes de limpeza.

LEMBRE-SE: a objetivo principal dessas medidas é o zelo com a vida dos funcionários, mas é importante lembrar também que esses procedimentos evitam também a propagação de outras doenças, como a gripe, que também podem ocasionar afastamentos. Além disso, não sabemos quanto tempo essa situação irá persistir até que haja uma vacina, o que reforça a necessidade de uma adaptação rápida e efetiva.