7 dicas para operações seguras

A rotina de trabalho, a falta de uma cultura organizacional orientada para a prevenção e a sensação de que um acidente “nunca vai acontecer com comigo” pode fazer com que alguns profissionais descuidem da segurança.

E se a preocupação com a segurança é importante para todos os processos de uma empresa, no caso das operações com empilhadeiras essa preocupação e as ações preventivas devem ser redobradas.

Dentre os acidentes mais comuns com empilhadeiras destaque para os tombamentos (que passam dos 20% dos acidentes), seguido por atropelamento de pedestres e situações em que o funcionário é prensado pelo equipamento.

Por isso, trazemos hoje para você repassar para sua equipe dicas de segurança para operações com empilhadeiras.

1. RESPEITO À CAPACIDADE RESIDUAL

Como vimos, o tombamento de empilhadeiras é um dos acidentes mais comuns. E o motivo para isso é que o operador desrespeita os limites de Capacidade Residual do equipamento.

Para relembrar, Capacidade Residual é a capacidade nominal que a empilhadeira tem para elevar com equilíbrio e segurança a carga. Esta capacidade é alterada dependendo do peso, da dimensão e da altura de elevação.

Cada empilhadeira possui um gráfico com a relação de peso da carga, centro de carga e também da altura que você poderá levantar a carga. Respeitar INTEGRALMENTE esses limites – incluindo a velocidade principalmente em curvas, é fundamental par evitar tombamentos (clique aqui para saber mais sobre Capacidade Residual).

2. RECICLAGENS CONTÍNUAS

Como dito logo no começo do artigo, se você tem a sensação de que “acidentes nunca vão acontecer com você” é sinal de que está precisando passar por reciclagens.

Os treinamentos de reciclagem são fundamentais para desligar a mente do “piloto automático” e voltar a falar sobre os riscos e sobre as medidas preventivas para operações seguras.

O ideal é que cada empresa tenha um Programa Anual de Treinamentos e, se for possível, acrescentar ainda os chamados DDS (Diálogo de Segurança).

3. LUZES DE SEGURANÇA

Para ampliar o nível de segurança e proteger operadores e pedestres, novos acessórios e tecnologias foram criadas e estão sendo amplamente incorporadas pelas empresas. E um exemplo disso são os sinais luminosos, sendo os principais deles:

  • BLUE SPOT: Indispensável para a segurança nas operações, o farol anti-colisão Blue Spot atua como um alerta para pedestres e veículos por meio de uma fonte luminosa de led projetada no chão, à frente da direção do percurso do equipamento.
  • SISTEMA DE ALERTA LATERAL: Age como um aviso para os pedestres em relação à distância segura que podem se aproximar das empilhadeiras. Este Sistema projeta um grande feixe de luz vermelha no piso e permite com o que pedestres possam identificar de forma mais segura como transitar próximos a veículos industriais, afim de eliminar acidentes.
  • RED ZONE: faixa intensa de luz vermelha que sinaliza de forma mais clara o possível circuito das empilhadeiras. O Red Zone emite forte marcação luminosa na cor vermelha, com o objetivo de advertir e exibir a todos colaboradores a área de distância segura a se manter das empilhadeiras.

4. MANUTENÇÕES E CHECK LIST

Manter as manutenções preventivas em dia, além de ser imprescindível para garantir eficiência operacional e para que não haja paradas indesejadas, é de grande importância também para a segurança. E além das manutenções preventivas, é indicado que haja um check list diário para ser utilizado antes de qualquer operação.

5. MONITORAMENTO DA DIREÇÃO

O operador precisa ser e estar treinado para que antes de qualquer movimento tenha uma visão de todo o perímetro – a orientação é de que só realize manobras quando tudo estiver dentro de seu raio de visão.

6. EPIs E O CINTO

Os riscos de um acidente com empilhadeiras diminuem de maneira proporcional às medidas preventivas adotadas. E mesmo tomando todas as precauções, os operadores ainda estão sujeitos a acidentes.

É por isso que os EPIs (Equipamentos de Segurança) e o cinto de segurança devem fazer parte da rotina diária do operador. E NENHUMA operação deve ser iniciada – por mais simples que ela possa ser, sem que ele esteja com TODOS os EPIs e com o cinto de segurança.

Importante lembrar ainda que EPIs como o protetor-auricular asseguram que não ocorram doenças auditivas relacionadas ao trabalho.

7. SINALIZAÇÃO

Outro ponto importantíssimo para a garantia da segurança dos operadores e demais funcionários é o cuidado com a sinalização dos locais onde serão realizadas as operações.

Faixas de pedestres e sinalização das áreas bem demarcadas, além de avisos nos pontos estratégicos são fundamentais para a segurança.

PRA FINALIZAR

Essas são apenas algumas dicas – pois este assunto depende ainda de vários pontos que são específicos para cada operação. O mais importante é que a segurança seja vista como prioridade número 1 em sua empresa…. E se tiver dúvidas, entre em contato conosco.

 

VEJA TAMBÉM

JM-EMPILHADEIRAS-JMEMPILHADEIRAS-CAPACIDADE-RESIDUAL-EMPILHADEIRAS

SEGURANÇA-EMPILHADEIRAS-DICAS-JMEMPILHADEIRAS-DICAS-EMPILHADEIRAS-JM