jm-empilhadeiras-dicas-baterias-tracionarias-empilhadeiras

Dicas para a reposição de água das baterias tracionárias

A durabilidade das baterias tracionárias das empilhadeiras está diretamente ligada aos cuidados que você deve tomar no momento da reposição da água.
Por isso, vamos relembrar alguns conceitos essenciais pra você na hora de repor a água da bateria.

1. Primeiramente é preciso lembrar que as baterias jamais podem operar na carga ou na descarga faltando água, e principalmente com placas dos elementos descobertos. Por isso o procedimento de verificação deve ser feito tanto antes como depois do uso.

2. Nunca encha os elementos (vasos) tampando a exaustão dos gases provenientes das reações químicas que ocorrem dentro das baterias.

3. Essa dica é de grande importância: sempre utilize água destilada, desmineralizada ou deionizada, de forma que a condutância não ultrapasse 30micro Siemens (fique atento porque se estocar a água desmineralizada ou deionizada por um longo período ela tende a aumentar gradativamente sua condutância).

4. Se possível, evite fazer o abastecimento da água antes das cargas. Caso seja necessário, coloque água antes de colocar a bateria no processo de carga – somente cobrindo as placas dos elementos que estiverem amostra.

5. Para evitar que aconteça contaminação do eletrólito, mantenha as rolas dos elementos sempre fechadas, tanto na carga, quanto na descarga.

6. O melhor momento para colocar a água é no final de cada carga, pois a liberação de gases já ocorreu em grande quantidade e os elementos que estavam “presos” nas placas já foram liberados.

7. Utilize SEMPRE os EPIs apropriados para operação das baterias tracionárias – ATENÇÃO: cuidado com o manuseio porque o eletrólito que fica dentro da bateria contém ácido sulfúrico, sendo um agente extremamente forte que pode provocar queimaduras graves.

OUTROS CUIDADOS

Além dessas observações importantes para a durabilidade da bateria tracionárias das empilhadeiras, você deve também evitar que ela trabalhe muito aquecida – acima dos 35°C, pois o sulfato de chumbo passa a perder suas propriedades e o componente vai decantando para o fundo da bateria, o que é extremamente prejudicial. E cuidado, também, com os pisos irregulares e manobras muito bruscas – pois pode acontecer de a massa desprender das placas e ficar alojada no fundo da bateria.