Capacidade residual em empilhadeiras

Você já ouviu falar de capacidade residual? Com certeza sim. Todos os operadores de empilhadeiras já tiveram contato com esse assunto no curso de formação, nas reciclagens e também nos treinamentos sobre a NR11.

Mas apesar de na teoria os operadores já terem ouvido falar da Capacidade Residual, na prática ainda tem muita gente que desconhece o tema em profundidade – mesmo sendo tão importante para a segurança das operações.

CAPACIDADE RESIDUAL EM EMPILHADEIRAS

É a capacidade nominal que a empilhadeira tem para elevar com equilíbrio e segurança a carga. Esta capacidade é alterada dependendo do peso, da dimensão e da altura de elevação. Podemos fazer uma analogia com uma gangorra, sendo a Caixa 1 a carga (mais leve), e a Caixa 2 a empilhadeira (mais pesada). Em uma situação normal, em que se respeite a Capacidade Residual, a Caixa 2 que representa a empilhadeira deverá ficar sempre embaixo para haver o equilíbrio desejado (imagem 1).

 

Capacidade residual em empilhadeiras - imagem 1

 

Mas se você exceder o peso da Caixa 1 (carga), ela ficará embaixo e a Caixa 2 (empilhadeira) será levantada. Resultado: um previsível tombamento da máquina.

capacidade residual em empilhadeiras imagem 2

 

CENTRO DE GRAVIDADE!

Para ilustrar esta situação utilizamos a figura abaixo, onde é demonstrado o Centro de Gravidade (CG) ‘’imaginário’’ da empilhadeira sem a carga (fig. 01). Quando colocamos a carga e iniciamos o processo de elevação, o Centro de Gravidade vai se deslocando (fig.2). E se passar do ponto de equilíbrio, a empilhadeira tombará para frente.

Doc2capacidade residual imagem 3

 

 

 

 

 

 

DICA: Além de usar a empilhadeira com a capacidade correta para carga, movimente o equipamento com o mastro inclinado para traz e a carga com menor elevação possível.

Isso proporcionará melhor estabilidade devido ao centro de gravidade se deslocar contra o produto, dando maior estabilidade na operação.

IMPORTANTE: velocidade também interfere no ponto de equilíbrio

Outro fator que influencia diretamente a estabilidade das empilhadeiras é a velocidade com que você executa as operações (fato que muitas vezes não é levado em conta pelos operadores).

Mesmo que você esteja respeitando a Capacidade Residual, quando realiza manobras acima da velocidade acaba mudando o centro de gravidade (ponto de equilíbrio) e fatalmente irá causar um acidente.

DE OLHO NO GRÁFICO!

Depois de fazer essa verificação, é só olhar o gráfico da sua empilhadeira. Lá tem a relação de peso da carga, centro de carga e também da altura que você poderá levantar a carga.

LEMBRE-SE: Conheça e respeite os limites da Capacidade Residual do seu equipamento e fique atento à velocidade com que atua nas operações. A sua segurança e da equipe a sua volta dependem de você!

 

Se você tem dúvidas ou quer saber mais sobre algum assunto relacionado a operações, envie um e-mail para nossa equipe técnica.

 

 

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *