Capacidade residual em empilhadeiras

Você já ouviu falar de capacidade residual? Com certeza sim. Todos os operadores de empilhadeiras já tiveram contato com esse assunto no curso de formação, nas reciclagens e também nos treinamentos sobre a NR11.

Mas apesar de na teoria os operadores já terem ouvido falar da Capacidade Residual, na prática ainda tem muita gente que desconhece o tema em profundidade – mesmo sendo tão importante para a segurança das operações.

CAPACIDADE RESIDUAL EM EMPILHADEIRAS

É a capacidade nominal que a empilhadeira tem para elevar com equilíbrio e segurança a carga. Esta capacidade é alterada dependendo do peso, da dimensão e da altura de elevação. Podemos fazer uma analogia com uma gangorra, sendo a Caixa 1 a carga (mais leve), e a Caixa 2 a empilhadeira (mais pesada). Em uma situação normal, em que se respeite a Capacidade Residual, a Caixa 2 que representa a empilhadeira deverá ficar sempre embaixo para haver o equilíbrio desejado (imagem 1).

 

Capacidade residual em empilhadeiras - imagem 1

 

Mas se você exceder o peso da Caixa 1 (carga), ela ficará embaixo e a Caixa 2 (empilhadeira) será levantada. Resultado: um previsível tombamento da máquina.

capacidade residual em empilhadeiras imagem 2

 

CENTRO DE GRAVIDADE!

Para ilustrar esta situação utilizamos a figura abaixo, onde é demonstrado o Centro de Gravidade (CG) ‘’imaginário’’ da empilhadeira sem a carga (fig. 01). Quando colocamos a carga e iniciamos o processo de elevação, o Centro de Gravidade vai se deslocando (fig.2). E se passar do ponto de equilíbrio, a empilhadeira tombará para frente.

Doc2capacidade residual imagem 3

 

 

 

 

 

 

DICA: Além de usar a empilhadeira com a capacidade correta para carga, movimente o equipamento com o mastro inclinado para traz e a carga com menor elevação possível.

Isso proporcionará melhor estabilidade devido ao centro de gravidade se deslocar contra o produto, dando maior estabilidade na operação.

IMPORTANTE: velocidade também interfere no ponto de equilíbrio

Outro fator que influencia diretamente a estabilidade das empilhadeiras é a velocidade com que você executa as operações (fato que muitas vezes não é levado em conta pelos operadores).

Mesmo que você esteja respeitando a Capacidade Residual, quando realiza manobras acima da velocidade acaba mudando o centro de gravidade (ponto de equilíbrio) e fatalmente irá causar um acidente.

DE OLHO NO GRÁFICO!

Depois de fazer essa verificação, é só olhar o gráfico da sua empilhadeira. Lá tem a relação de peso da carga, centro de carga e também da altura que você poderá levantar a carga.

LEMBRE-SE: Conheça e respeite os limites da Capacidade Residual do seu equipamento e fique atento à velocidade com que atua nas operações. A sua segurança e da equipe a sua volta dependem de você!

 

Se você tem dúvidas ou quer saber mais sobre algum assunto relacionado a operações, envie um e-mail para nossa equipe técnica.

 

 

Saiba aqui como escolher a empilhadeira certa

Como escolher a empilhadeira certa

Escolher a empilhadeira ideal para operar em sua empresa é fator determinante para o sucesso das suas operações. E como são muitos os fatores que influenciam nessa escolha, e como há uma grande variedade de empilhadeiras disponíveis no mercado, chegar ao equipamento ideal não é uma tarefa fácil.

Afinal, várias perguntas precisam ser respondidas antes de você tomar a  decisão.

Se você precisa adquirir o primeiro equipamento, trocar o atual ou aumentar a quantidade de empilhadeiras em suas operações, precisa responder a uma série de perguntas antes de tomar as decisões. Nós listamos as principais delas pra você:

COMO ESCOLHER A EMPILHADEIRA CERTA

 

QUANTO AO LOCAL

  • Qual a altura máxima do local onde será feita a operação?
  • Quais as medidas dos portões e portas de acesso?
  • Como é o piso onde o equipamento irá trabalhar?
  • Qual o peso e as dimensões médias da carga transportada?
  • Como é o ambiente onde serão realizadas as operações, abertos ou fechados?
  • Há regulamentação em sua área sobre emissão de poluentes?
  • Qual será o regime de trabalho do equipamento?
  • Qual é a largura dos corredores
  • Qual a altura média de elevação pretendida?

 QUANTO AO EQUIPAMENTO

  • Autonomia
  • Capacidade de carga
  • Capacidade de elevação
  • Custo de manutenção
  • Tipo ideal de combustível
  • Consumo médio
  • Capacidade residual
  • Durabilidade
  • Disponibilidade de peças
  • E o mais importante: o custo/benefício

 

Confira os tipos básicos de empilhadeiras disponíveis e suas principais características.

Mas lembre-se: antes de tomar uma decisão consulte um especialista no assunto para que todos os detalhes sejam avaliados e você faça o melhor negócio para sua empresa.

 

EMPILHADEIRAS ELÉTRICAS

fm-x-se

Versáteis, de fácil operação em locais estreitos e com alto grau de giro no próprio eixo, as empilhadeiras elétricas se destacam por serem silenciosas e não emitirem gases poluentes. São indicadas para lugares fechados, como depósitos, fábricas, câmaras frigoríficas e almoxarifados.

Graças à versatilidade para operar em corredores estreitos e por não emitirem gases tóxicos, são muito empregadas em supermercados e indústrias alimentícias/perecíveis – já que há restrições nesses ambientes para as empilhadeiras à combustão.

 

PALETEIRAS

paleteira still Como o próprio nome diz, esses equipamentos dependem da movimentação e da força do operador para realizar o trabalho. Hoje as paleteiras possuem rolamentos e sistemas de roldanas que não sobrecarregam o serviço do operador.

São utilizadas apenas para transporte horizontal de carga (por operarem somente ao nível do solo), e têm como principal benefício o baixo custo (comparado ao preço de uma empilhadeira).

São eficientes no trabalho de movimentação de pallets em pequenos e médios estoques, e que não exijam movimentação vertical da carga.

 

EMPILHADEIRAS COMBUSTÃO A GÁS

RC 44-25 3Em termos de emissão de poluentes, as empilhadeiras a gás (GLP) ficam entre as elétricas e as movidas a diesel, sendo indicadas, portanto, para atuar em lugares cobertos ou fechados, mas que possuem ventilação. São mais ruidosas e não são tão versáteis quanto às elétricas.

Porém, quando se trata de capacidade de carga, as empilhadeiras à combustão, neste caso a gás, se sobressaem bastante sobre as empilhadeiras elétricas.

É muito utilizada na indústria alimentícia e produtos perecíveis, já que existem restrições para os equipamentos a diesel.

 

EMPILHADEIRAS COMBUSTÃO A DIESEL

h-70-386Mais robustas, com mais autonomia e melhor desempenho em pisos irregulares e rampas, as empilhadeiras a diesel têm maior capacidade de carga – tanto comparada às elétricas como comparadas às empilhadeiras a gás.

Além disso, têm ainda a vantagem de o combustível ser mais acessível que os cilindros utilizados nos equipamentos a gás.

 

Mas você deve ter atenção quanto ao local onde será utilizada essa empilhadeira. Por emitirem mais poluentes e serem mais ruidosas, são indicadas para operações mais brutas, em ambientes externos ou com bastante ventilação – e há restrições, como descrito anteriormente, para setores alimentícios/perecíveis.

 

Como se pode notar, o trabalho para escolha da empilhadeira certo para a sua operação é bem complexo. Daí a importância de contar com uma empresa especializada para auxiliar nessa análise. 

10 MOTIVOS PARA ESCOLHER A JM EMPILHADEIRAS

  1. Mais de 25 anos de experiência de mercado
  2. Parceria com as principais empresas e grupos do Brasil
  3. Representante oficial do Kion Group, fabricantes das empilhadeiras com o melhor custo/benefício do mercado: Linde e Still
  4. Centros de Assistência Técnica para atendimentos ágeis e eficientes
  5. Serviço de pós-venda premiado e reconhecido nacionalmente
  6. Atuação em mais de 10 estados do país
  7. Estoque amplo e variado de peças para reposições rápidas
  8. Equipe de técnica altamente capacitada e em constante qualificação
  9. Índice de Disponibilidade dos equipamentos de 99%
  10. Pesquisa de satisfação da assistência técnica com 97% de aprovação.